quarta-feira, 29 de março de 2017

FUNDAMENTOS DO DA-SEIN (HEIDEGGER)



O que se segue é um esboço da Introdução e da Primeira Parte do livro Ser e Tempo de Heidegger. Este esboço visa apenas apresentar  o que pode ser encontrado no livro. Ele não representa minhas ideias pessoais. 



PROLEGÔMENA À ANÁLISE DA QUESTÃO DO SER

COLOCAÇÃO DA QUESTÃO DO SER

Conceito de Ser
1.      O ser é o conceito mais universal= ser é uma universalidade transcendental, não só uma universalidade genérica.
2.      O ser é indefinível= ser não é um ente.

3.      O ser é evidente por si mesmo= faz-se uso da palavra “ser” compreendendo seu sentido intuitivamente.
Questão do Ser
Estrutura Formal do Questionar
- Questionado= acerca do que se questiona, isto é, o “ser”.
- Interrogado= no que se deve buscar o questionado, isto é, no ente.
- Perguntado=  meta intencionada no questionamento, isto é, o sentido do ser.
> Primado Ontológico da Questão do Ser=  O Da-Sein é em si mesmo ontológico.
>Primado Ôntico da Questão do Ser=  O Da-Sein é determinado em seu ser pela existência.
>Primado Ôntico-ontológico do Ser= O Da-Sein é originariamente constitutivo de uma compreensão do ser de todos os entes que não possuem o modo de ser do Da-Sein.

MÉTODO DE INVESTIGAÇÃO DA QUESTÃO DO SER

>          Suspensão Fenomenológica=  Deve-se efetuar a remoção das interpretações sedimentadas da tradição ontológica para se chegar às experiências originárias do que significa “ser”.
MÉTODO FENOMENOLÓGICO
- Fenômeno = aquilo que se mostra em si mesmo.
- Logos= fala que deixa e faz ver aquilo que se revela.
- Fenomenologia= Deixar e fazer ver por si mesmo aquilo que se mostra, tal como se mostra a partir de si mesmo.

FUNDAMENTOS DO DA-SEIN


CARACTERIZAÇÃO INICIAL DO DA-SEIN

1.      A essência do Da-Sein é a sua existência.
2.      O ser do Da-Sein é sempre meu.

SER-NO MUNDO

Ser-no-mundo é uma constituição fundamental do Da-Sein.

A Mundanidade do Mundo

Polissemia da Palavra Mundo
- Conceitos ônticos de mundo
      1.      Totalidade dos entes simplesmente dados
      2.      Contexto no qual o Da-Sein vive (mundo).
- Conceitos Ontológicos de mundo
1.    Ser dos entes (“mundo”).
2.    A própria mundanidade.
> Mundanidade Circundante= O mundo mais próximo do Da-Sein cotidiano.
Manualidade = modo de ser dos entes-simplesmente-dados (instrumentos) no mundo.
- Instrumento= aquilo com que se lida pragmaticamente na ocupação.
- Circunvisão= visão do conjunto que abarca o material, o usuário, o uso e a obra.
1.      Surpresa= demonstração da manualidade do manual (a impossibilidade de emprego do instrumento faz descobrir a manualidade do instrumento).
2.      Importunidade= desarranjo do uso (quando não se sabe o que fazer com o instrumento, o que põe de novo em descoberto o manual).

3.      Impertinência= não-estar-à-mão, não-manual (quando não se tem tempo para se ocupar do instrumento).
>Espacialidade do ser-no-mundo= A espacialidade do Da-Sein não é uma posição estática mas uma dinâmica de abertura e instalação de espaços, num movimento de distanciamento e direcionamento

Ser-com
Ser-com-outros= O mundo do Da-Sein é sempre o mundo compartilhado com os outros.
- Ocupação= Ser-junto-com-o-manual.
- Pre-ocupação= convivência recíproca com os outros (ser-com-outros).
 Cuidado substitutivo= assumir a ocupação que o outro deve realizar.
Cuidado antepositivo= Cuidado propriamente dito que se pre-ocupa com o outro para desenvolvê-lo como tal.
-  Projeção= Reconhecer o Da-Sein no outro.
­> Impessoalidade= Si-mesmo do Da-Sein na cotidianidade

Ser-em
Ser-em= o Da-Sein “habita” o mundo, estando familiarizado com ele.
Constituição Existencial do “Da” de Da-Sein
> Disposição do medo= A disposição (clima afetivo∕humor) do medo possui o caráter da ameaça e o de que se teme é o amedrontador.
 - Caráter da ameaça= (1) O amedrontador é prejudicial; (2) O prejudicial visa uma região determinada daquilo que pode encontrar; (3) A região e o “estranho” que dela proveem são conhecidos; (4) O prejudicial se aproxima sem se achar numa aproximação dominável; (5) aproximando-se na proximidade o prejudicial ameaça; (6) o prejudicial traz consigo a possibilidade desvelada de se ausentar.
> Compreensão= possibilidade de conhecimento que constitui o ser do “Da” do Da-Sein.
- Significância= perspectiva em virtude da qual o mundo se abre como tal.
> Interpretação= Elaboração das possibilidades projetadas no compreender. A interpretação não é a apreensão de um dado preliminar, isenta de pressuposições, ela parte de uma opinião prévia fundada em uma:
- Posição prévia= Horizonte de possibilidades;
- Visão prévia= Recorte de uma possibilidade em perspectiva;
- Concepção prévia= apreensão conceitual.
Conceito de Enunciado= Enunciado significa (i) mostrar por si mesmo (deixar e fazer ver), (ii) predicação que determina o sujeito e (iii) comunicação (compartilhamento existencial). Assim o enunciado é um mostrar a partir de si mesmo e por si mesmo, que determina e comunica.
Fala= Articulação em significações da compreensibilidade inserida na disposição de ser no mundo.  Estrutura-se em três momentos constitutivos: referencial (aquilo sobre o que se fala); comunicação (partilhar com) e anúncio (estar fora).
Verdade= Primordialmente o descobrimento e secundariamente a descoberta. Ser-verdadeiro (ser-descobridor) é um modo de ser do Da-Sein
Análise do Ser Cotidiano do “Da” do Da-Sein
> Falação= Oscilação sem solidez. Modo ilegítimo de compreensão, fala superficial.
> Curiosidade= Estar em toda parte e em parte nenhuma. Voracidade insaciável de novidades. Caracteriza-se por:
- Impermanência= busca sempre o novo.
- Dispersão= providencia um conhecimento só para se tornar consciente.
- Desamparo= estar em toda parte e ao mesmo tempo em parte nenhuma.
> Ambiguidade= Desenraizamento. Parece ter compreendido mas não, ou parece não ter compreendido mas compreendeu.
> Decadência= modo fundamental de ser da cotidianidade. O modo de ser específico da decadência caracteriza-se por:
- Tentação= O Da-Sein confere-se a si mesmo a possibilidade de decair;
- Tranquilidade= A pretensão do impessoal assegura a certeza da plenitude das possibilidades de ser.
- Alienação= encobrimento do poder-ser mais próprio do Da-Sein.
- Aprisionamento= O Da-Sein se fecha em si mesmo.
Angústia= Disposição afetiva que retira o Da-Sein de seu empenho decadente no “mundo” rompendo com a familiaridade cotidiana do ser-em


Fonte: Heidegger, M. Ser e Tempo 10 ed. Petrópoles: Vozes; Bragança Paulista, SP: Editora Universitária São Francisco, 2015.

Nenhum comentário: