sexta-feira, 25 de setembro de 2015

AMOR ERÓTICO EM CANTARES DE SALOMÃO


       Um preconceito que alguns tem é que a sexualidade só aparece nas Bíblia tendo por finalidade única a procriação e reprodução. No entanto, o Cântico dos Cânticos (também conhecido como Cantares de Salomão) nos mostra como mesmo dentro de um livro sacro judaico a sexualidade ganha nuances eróticas. "Quanto à temática do erótico, percebe -se que no poema “Cântico dos cânticos”, o erotismo, seja masculino, seja feminino, é ecoado pelo eu lírico presente em cada poema" (Alexandre, s.d., p.15). É importante perceber que a erotização presente no livro não restringe-se ao coito genital, mas também às carícias eróticas, o toque no corpo e o amor entre um casal. Salomão também fala disso em um outro livro que escreveu chamado Provérbios: “como cerva amorosa e donzela graciosa; saciem-te seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente.” (5.19)

O 'Cântico dos Cânticos de Salomão', vigésimo segundo livro da Bíblia, significa o maior e mais belo canto. Como o título sugere, provavelmente, na época em que foram compostos o Cântico dos Cânticos de Salomão eram cantados e não recitados, e seriam utilizados nas festividades do calendário judaico, com estrutura literária que nos remete à musicalidade. A autoria de Cântico dos Cânticos é atribuída a Salomão, filho e sucessor de Davi no reinado de Israel que ... foram compostos nos primeiros do reinado de Salomão que durou quarenta anos (971-931a.C.). (Dutra, 2011, p. 3)

Segue-se abaixo algumas passagens erotizadas do livros, citados conforme a versão O Livro (OL):

O meu amado é como uma macieira no meio das árvores do pomar, quando comparado com outros rapazes. Sento-me à sua desejada sombra; seu fruto é doce ao meu paladar. Leva-me até à sala do banquete, e toda a gente pode ver como me ama. Sustem-me com fruta, com uvas, com maçãs, pois que estou desfalecendo de amor. Põe-me a sua mão esquerda debaixo da cabeça e com a direita abraça-me ...Já o ouço, o meu amor! Lá vem ele, galopando sobre os montes, saltando por cima das colinas. O meu querido é como um gamo, ou o filho dum veado. Vejam, aí está ele, por detrás do nosso muro; agora, está já a olhar pelas janelas. Disse-me o meu amor: — Levanta-te, querida, minha bela, e vem. (2.3-6, 8-10)

Como são bonitos os teus pés ágeis, ó princesa! As voltas das tuas coxas são como joias, trabalhadas por mãos de artista. O teu umbigo, como uma artística taça, cheia de fino licor; teu ventre é um campo de trigo cercado de lírios. Teus dois seios parecem-me com gémeos de gazela... Como és formosa, como és encantadora, ó delícia de amor! Tens o porte altivo e elegante de uma palmeira. Teus peitos são como cachos de uvas. Disse eu assim: Hei-de subir à palmeira, e agarrar-me aos seus ramos. Que os teus seios são como cachos de vide e o hálito da tua respiração como o rescender de maçãs. Teus beijos dão a mesma alegria que o melhor dos vinhos, suave e doce, fazendo até com que falem os lábios dos que dormem. Eu sou do meu amado, e ele deseja-me. Vem, meu amor; vamos para os campos; passemos as noites nas aldeias. Levantemo-nos de manhã cedo e saiamos até às vinhas, a ver se já florescem as vides, se já se abrem as flores e se brotam as romeiras; ,ali te darei o meu grande amor. As mandrágoras exalam a sua fragrância, às nossas portas há toda a espécie de fruta, da mais excelente, nova e velha. Guardei-a para ti, meu amor.(7.1-3, 6-11)


REFERÊNCIAS

Alexandre, S. F. (s.d.). A IMAGÉTICA DO AMOR E DO SEXO URDIDOS PELA VOZ POÉTICA: em Cântico dos cânticos de Salomão. Artigo.

Dutra, D. T. C. (2011). CÂNTICO DOS CÂNTICOS DE SALOMÃO: Representação poética do iealismo amoroso. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Estudual da Paraíba, Guarabira.


Nenhum comentário: