quinta-feira, 20 de abril de 2017

COMO LER LIVROS (ADLER)

       Como Ler Livros é um guia indispensável para uma leitura inteligente de livros que valem a pena ler. Em um tempo em que a maior parte dos brasileiros, mesmo dos acadêmicos, é analfabeta funcional (confira), conhecer a arte da leitura inteligente se faz urgente. Este post esboça as regras que Adler e Van Dorien apresentam no guia prático “Como ler livros”. Espero que este esboço estimule os leitores a adquirirem o livro (aqui) a fim de aprimorarem-se na arte da leitura.



DIMENSÕES DA LEITURA


*Objetivos da Leitura: (i) Informar= leitura de algo imediatamente inteligível; (ii) Entender= tentativa de ler algo que a princípio não se entende completamente e, (iii) Divertir= leitura para entretenimento.

NÍVEIS DE LEITURA

* Elementar= Leitura feita por qualquer pessoa alfabetizada.
*Inspecional= Extrair o máximo possível de um livro num período limitado de tempo.
*Analítica= A mais completa leitura possível.
*Sintópica= Leitura de muitos livros, ordenando-os mutuamente sobre o assunto comum.


PERGUNTAS BÁSICAS

Leitura Inspecional= O livro é sobre o que? O que exatamente está sendo dito e como?
Leitura Analítica = O livro é verdadeiro em todo ou em parte? E daí?
Leitura Sintópica = E daí?


ANOTAÇÕES

*Tipos de anotações= (i) Estruturais= Voltadas à estrutura do livro (leitura inspecional); (ii) Conceituais= Ocupam-se dos conceitos do autor e do leitor (leitura analítica); (iv) Dialéticas= notas sobre o perfil do debate (leitura sintópica).

*Técnicas de Anotações
1. Sublinhar os trechos principais;
2. Traçar limites verticais na margem;
3. Fazer asteriscos em partes importantes;
4. Inserir números nas páginas referenciando outras páginas;
5. Inserir números nas margens para indicar os passos do raciocínio;
6. Circular palavras-chaves;
7. Escrever nas margens.


LEITURA ELEMENTAR

Estágios de Alfabetização

1. Prontidão para a leitura= desenvolvimento de habilidades que possibilitem o aprendizado da leitura.
2. Domínio vocabular= aprendizagem de leitura de materiais simples.
3. Desenvolvimento vocabular e utilização de contextos= progresso rápido na construção vocabular e na identificação de significados com base no contexto.
4. Leitura Fundamental = Capacidade de comparar visões de diferentes autores sobre o mesmo assunto.


LEITURA INSPECIONAL

* Sondagem Sistemática: (i) Exame da folha de rosto e do prefácio; (ii) Exame do Sumário; (iii) Consulta do índice remissivo; (iv) Leitura da capa e contracapa; (v) Exame dos capítulos centrais e, (vi) folheio do livro.
*Leitura Superficial= Ler o livro continuamente e rápido.


LEITURA ANALÍTICA

ESTÁGIO I – REGRAS PARA DESCOBERTA DO CONTEÚDO

Regra 1 – Classifique o livro de acordo com o título e assunto.

*Obras de Ficção= Romances, épico, poema, peça.
*Obras Expositivas= (i) Práticas= economia (algumas), oratória, ética, política, engenharia, negócio, direito (alguns), medicina (alguns), guia; (ii) Teóricas= ciência, filosofia, história-narração.


Regra 2 – Expresse a unidade do livro da maneira mais breve possível (O livro como um todo é sobre o que?)

Regra 3 – Enumere suas partes principais em ordem e relação e as esboce (partes>seções>pontos).

Regra 4 – Defina o(s) problema(s) que o autor busca resolver (Qual a principal pergunta do livro? Quais as perguntas secundárias?)

ESTÁGIO II – REGRAS PARA INTERPRETAR O CONTEÚDO

Regra 5 – Encontrar as palavras-chaves e entrar em acordo com o autor.
*As palavras-chaves são as que (i) incomodam; (ii) são destacadas pelo autor; (iii) são importantes dentro do vocabulário técnico de uma área do conhecimento; (iv) o autor se esforça para mostrar que a usou em sentido diferente do usado por outros autores.

Regra 6 – Capte as proposições (unidades de pensamento e conhecimento ou unidades lógicas) principais, encontrado as frases (unidades de linguagem ou unidades gramaticais) mais importantes.
* As frases-chaves sãos as que exigem esforço interpretativo do leitor e expressam julgamentos básicos do autor.

Regra 7 – Identifique os argumentos, encontrado-os ou construindo-os com base em sequências de frases.

Regra 8 – Determine quais problemas o autor conseguiu e quais ele não conseguiu resolver; neste caso decida-se se o autor sabe que fracassou ao resolvê-los.

ESTÁGIO III – REGRAS PARA CRITICAR O CONTEÚDO

A. Preceitos de Etiqueta Intelectual

Regra 9 – Você precisa entender antes de emitir um julgamento.
*Retórica = Saber convencer ou persuadir (para o autor) e saber como reagir quando alguém tenta nos convencer ou persuadir de algo (para o leitor.

Regra 10 – Quando discordar, faça-o de maneira sensata, sem gerar disputas ou discussões (não faz sentido vencer um debate se souber ou suspeitar que esteja errado).

*Tipos de Discórdia: (i) Aparente= resulta de simples desentendimento; (ii) Por desigualdade de conhecimento= O ignorante discorda do culto por questões que ultrapassam seu conhecimento; (iii) Sob o domínio da razão = Suscita a aprendizagem.
*ATITUDES CRITICAS POSSÍVEIS= Concordar, discordar ou suspender o juízo.

Regra 11 – Respeite a diferença entre conhecimento (é baseado em evidências) e opinião (julgamento não justificado) fornecendo razões para o seu juízo.

B. Critérios Especiais para o Exercício da Crítica

Regra 12 – Mostre onde o autor está desinformado.
Regra 13 – Mostre onde o autor está mal informado.
Regra 14 – Mostre onde o autor foi ilógico.
Regra 15 – Mostre onde a análise ou a explicação do autor está incompleta.

*Condições para uma boa controvérsia= (i) Identificar suas emoções; (ii) Reconhecer seus preconceitos; (iii) ser imparcial.

MATERIAIS DE APOIO PARA A LEITURA

*Comentários e Resumos= Devem ser usados raramente. Um comentário só pode ser lido depois que o livro foi lido. Resumos podem ser lidos antes (para auxiliar na decisão de se vale a pena ler o livro) ou depois (para ajudar a lembrar o que foi lido).
*Obras de Referência= Você tem de saber o que quer saber, em qual obra buscar, como encontrar essa informação e entender que os autores da obra consideram que tal informação pode ser conhecida.
*Dicionários = Não se deve ler um livro com um dicionário ao lado o tempo todo e não tente adquirir vocabulário rico memorizando o dicionário. Deve-se ter em mente que dicionários não são autoridades de sabedoria.


LEITURA SINTÓPICA

ETAPA I – INSPEÇÃO DO CAMPO PREPARATÓRIA PARA A LEITURA SINTÓPICA

1. Prepare uma bibliografia provisória de seu assunto lançando mão de catálogos de bibliotecas, orientadores e bibliografias de livros.
2. Inspecione todos os livros da bibliografia provisória a fim de averiguar quais têm a ver com o assunto que lhe interessa e para formar uma ideia mais clara do assunto.,

ETAPA II – LEITURA SINTÓPICA DA BIBLIOGRAFIA REUNIDA NA FASE I

1. Inspecione os livros que já foram identificados como relevantes para o assunto da fase I a fim de encontrar passagens mais relevantes.
2. Forje um consenso entre os autores por meio da construção de uma terminologia neutra do assunto que, segundo a sua interpretação, todos, ou grande maioria, pudesse empregar, quer eles efetivamente empreguem tais palavras, quer não.
3. Estabeleça uma série de proposições neutras para todos os autores por meio de uma série de perguntas que, segundo sua interpretação, os autores respondem, quer eles tratem explicitamente dessas questões, quer não.
4. Delimite as divergências, grandes e pequenas, demarcando as respostas contrárias dos autores ás diversas perguntas, estando eles de um lado ou de outro na divergência. Deve-se lembrar que nem sempre há uma divergência explícita entre dois ou mais autores e que ás vezes é preciso construí-la por meio da interpretação das opiniões dos autores sobre assuntos que podem ter figurado entre seus interesses básicos ou não.
5. Analise a discussão ordenando as perguntas e divergências de modo a esclarecer o máximo do assunto. As divergências mais gerais devem vir antes das menos gerais, e as relações entre as divergências têm de ser indicadas com clareza.



FONTE: Adler, Mortimer J. & Van Doren. Como Ler Livros – O Guia Clássico da Leitura Inteligente. É Realizações.



Nenhum comentário: