sábado, 16 de janeiro de 2016

QUAL É A ÚNICA RELIGIÃO VERDADEIRA?

       
       A verdade de que o Cristianismo é a única religião verdadeira tem sido obscurecida pelo pluralismo religioso e pelo relativismo antropológico. Muitos chamados “desigrejados” ou mesmo membros de alguma comunidade religiosa têm insistido que “seguem Jesus”, não uma religião. De acordo com a Wikipédia, religião “é um conjuntto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais”.
       O Cristianismo possui um sistema de dogmas, uma cosmovisão, símbolos de fé, um código moral e uma relação com a espiritualidade. Ora, por que, então, não considerá-lo uma religião? É verdade que Cristo pregou contra o legalismo religioso, mas ele nunca se posicionou contra a religião em si.
       Mas em tempos em que a palavra “cristão” se tornou tão flexível a ponto de incluir uma pluralidade de seitas religiosas, precisamos estabelecer critérios que identifiquem e delineiam o sentido da palavra “Cristianismo”, com o devido rigor conceitual. Uma palavra que não possui limites conceituais, na realidade é vazia de significado, semelhante a emissão sonora de um arroto. Se não estabelecemos parâmetros corremos o risco de chamar de pintura artística tudo o que qualquer um faz diante de uma tela em branco.
       Podemos estabelecer basicamente três crenças fundamentais (mas não só) que precisam estar presentes numa religião para que ela realmente seja considerada cristã: (i) A doutrina da Santíssima Trindade, definida como a fé num Deus Teísta Único que subsiste em três pessoas distintas (Mateus 28.19); (ii) A adoção da Bíblia Sagrada como a Palavra de Deus e única regra de fé e prática (2Timóteo3.16) e (iii) A crença na salvação como um ato da graça de Deus somente, em que o homem não possui mérito algum (Efésios2.8). Não consideramos cristã qualquer religião que negue um ou mais desses pontos.
       Agora tratemos das bases epistemológicas, lógicas e bíblicas para considerarmos o Cristianismo a única religião verdadeira:

BASE EPISTEMOLÓGICA

O pressuposto epistemológico do Cristianismo é o de que a verdade é objetiva, universal e absoluta, sendo definida como aquilo que corresponde à realidade dos fatos. O grande inimigo dessa posição é o Relativismo Epistemológico. As premissas que refutam o relativismo são:

1.      A afirmação de que toda verdade é relativa, é paradoxalmente uma afirmação não-relativa (universal)
2.      Nenhum sistema filosófico é válido se contém uma contradição interna.
3.      Logo o Relativismo não é válido.

       Visto que a verdade não é relativa, o contrário do verdadeiro é obviamente o falso. Aliás, mesmo uma criança sabe que o contrário do certo é o errado, e o contrário da verdade é a mentira. Logo, se adotamos que o Cristianismo é verdadeiro, tudo o que contradiz os pressupostos básicos da fé cristã é falso. Ou podemos dizer que todas as religiões são falsas a medida em que se afastam do Cristianismo e verdadeiras naquilo que concordam com ele.  

BASE LÓGICA

       O a priori de todo pensamento válido é a lógica. Tudo o que é verdadeiro precisa estar de acordo com as leis da razão, pois é impossível raciocinar, argumentar e mesmo pensar corretamente sem fazer uso da razão. Uma lei básica do pensamento lógico é a lei da não contradição.
       A não pode ser não-A. Se A é idêntico a B, logo tudo o que é não-A, não pode ser B. Se o Cristianismo é verdadeiro, logo tudo o que é contrário ao Cristianismo não pode ser verdadeiro. Duas cosmovisões contraditórias não podem ser igualmente verdadeiras, senão o impossível seria possível, mas isso não é possível.

BASE BÍBLICA

A Bíblia sagrada claramente ensina a singularidade do Cristianismo:

Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim. - João 14:6
Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos – Atos 4:12
Pois mesmo que haja os chamados deuses, quer no céu, quer na terra, (como de fato há muitos "deuses" e muitos "senhores”), para nós, porém, há um único Deus, o Pai, de quem vêm todas as coisas e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas e por meio de quem vivemos. - 1 Coríntios 8:5-6
Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. - Efésios 4:4-6

CONCLUSÃO

       Logo, reafirmamos o pressuposto exclusivista da Religião Cristã. Negamos qualquer ensino de que “todos os caminhos levam a Deus”, “todas as religiões conduzem a mesma realidade final”, “a religião é verdadeira subjetivamente para cada pessoa” e outros semelhantes. Também consideramos uma seita ou religião falsa qualquer denominação que negue as crenças fundamentais da Religião Cristã.

FONTES

https://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%A3o
http://mcapologetico.blogspot.com.br/2010/06/como-identificar-uma-seita.html
Geisler, N. (2015). Teologia Sistemática 1. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus.
Reis, D., Assis, L. G., Cardoso, M. e Borges, M. (2014). O Resgate da Verdade. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira.


Nenhum comentário: